4 PASSOS PARA ACABAR COM A BARRIGA


Artigo escrito por Flávia Gonferr, profissional de Educação Física, esclarecendo alguns mitos e explicando a melhor forma de eliminar a gordura na região abdominal.


Eu posso estar em qualquer lugar do mundo, em uma situação qualquer e conversando com pessoas aleatórias, sobre os mais variados assuntos. No momento que se torna público que sou profissional de educação física, os indivíduos que me cercam espremem a barriga com as duas mãos, olham nos meus olhos e perguntam: “COMO EU FAÇO PARA ACABAR COM ESSA BARRIGA”?


Essa é a pergunta que mais escuto desde que passei no vestibular para educação física! No entanto, quando escutam a resposta, a reação é de descrença (na minha palavra) e logo em seguida, sou bombardeada com outras três perguntas: “Qual abdominal é melhor para acabar com a barriga?”; “Chá verde e água com limão é bom pra secar a barriga?”; “E o gel redutor com cinta?! Reduz mesmo o tamanho da barriga?”.


Senhoras e Senhores! Eis a verdade!


Vou esclarecer sobre alguns mitos e mostrar o que realmente é eficiente.


Gordura Abdominal x Gordura Visceral

O volume abdominal causado pelo excesso de peso, maus hábitos alimentares e sedentarismo que tanto incomoda a maioria das pessoas tem duas origens diferentes.


A gordura abdominal é aquela camada de gordura que se aloja abaixo da pele e sobre o músculo. É aquela gordura que a gente espreme com as mãos. Não é tão nociva para a saúde, mas gera um prejuízo estético (aqueles pneuzinhos) que provocam baixa na autoestima.


Já a gordura visceral é aquela que se aloja entre os órgãos formando uma barriga dura e que se projeta para a frente (como uma barriga de grávida). Essa gordura é extremamente letal, pois é a causadora de doenças graves tais como: câncer de fígado, câncer de intestino, doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2. Torna-se ainda mais preocupante quando a circunferência abdominal supera a medida de 89cm.


Além das diferenças citadas acima existe outro fator preocupante: a forma de eliminar esses tipos de gordura. A gordura abdominal, por ser mais superficial e estar sobre o músculo é mais fácil de ser sintetizada. Em compensação, a gordura visceral por estar entre os órgãos exige muito mais esforço para a sua eliminação.


Portanto, o primeiro passo para diminuir o volume abdominal é identificar onde está o seu acúmulo de gordura.


Abdominal não acaba com a barriga

Exercícios abdominais puros e simplesmente não trarão resultados pontuais e objetivos. O exercício melhora o tônus do abdômen, mas o resultado esperado só é alcançado com a associação de atividades como treinamentos aeróbicos e anaeróbicos, aliado com bons hábitos de alimentação e repouso. É a integração de atitudes conscientes.


A gordura é a fonte de energia mais eficiente. Fornece mais energia para o corpo que as proteínas e os carboidratos, por isso nosso organismo armazena qualquer excesso em forma de gordura e a região abdominal é a parte do corpo onde geralmente possui maior acúmulo. De forma simples, o nosso corpo faz do nosso abdômen uma espécie de “dispensa”.


Então, se eu aumentar meu consumo energético, meu corpo buscará energia no abdômen. Certo? ERRADO! O nosso corpo poupará essa “dispensa” que ele criou e antes de gastar tudo aquilo que está armazenadao no abdômen, usará primeiramente a gordura de existente em grupos musculares menores como braços e rosto, por exemplo.


É por isso que é tão difícil de combater esse acumulo de gordura na região abdominal!


Só exercícios aeróbicos não são suficientes

Um estudo recente publicado pela Sacramento State College, Califórnia – USA, conduzido pela Dra Dorothy R. Mohr (Changes in Waistline and Abdominal Girth and Subcutaneous Fat following Isometric Exercises) avaliaram voluntários em dois cenários: no primeiro, praticando apenas exercícios cardiovasculares e no segundo, praticando exercícios cardiovasculares e treinamento de força. O que se descobriu foi que a queima de gordura no abdômen foi maior quando se fazia os treinos de força antes do treino cardiorrespiratório. Isso porque os exercícios de força levam a um maior fluxo de sangue na região, elevando a queima na área durante a atividade aeróbica.


Sendo assim, o segundo passo para diminuir o volume abdominal é começar a fazer atividades de força e aeróbicas de forma coordenada.


Atenção para a alimentação

Adquirir bons hábitos alimentares é indiscutível.


Evite ou pelo menos diminua o consumo de carboidratos refinados (farinhas brancas, pães brancos, arroz branco, macarrões ou massas não integrais, biscoitos, bolachas e bolos) e açúcares (doces e refrigerantes).


Aumente o consumo de proteína optando por cortes magros, aves e peixes. Insira também a proteína vegetal encontrada no feijão e na lentilha, por exemplo. Além de fonte de proteína são também fonte de fibras e carboidratos complexos.


Consuma “gordura boa”. Pense: azeite (gordura insaturada) em vez de manteiga (gordura saturada). Abacate e castanhas também são boas fontes de gordura. Além de aumentar seus níveis de colesterol, as gorduras saturadas também contêm mais gordura visceral do que as não-saturadas, de acordo com um estudo de 2014 publicado na revista Diabetes.

Reduza o consumo de álcool. Segundo pesquisa publicada no European Journal of Clinical NutritionThe effect of current and lifetime alcohol consumption on overall and central obesity, apenas a adição de uma bebida alcoólica por dia já aumenta a circunferência abdominal – e sim, isso inclui o vinho.

Tudo bem se divertir um pouco, mas cuidado com os excessos e o habito diário.


Beba mais água, uma vez que, a falta de água vai elevar sua condição de inchaço, o que dá impressão de mais barriga, também faz com que o metabolismo não funcione corretamente. Nossas células precisam de água para fazer qualquer processo, inclusive o de eliminação de gordura.


Outrossim, o terceiro passo para diminuir o volume abdominal é ter uma alimentação de qualidade.


Dormir bem potencializa o seu metabolismo

Não se trata apenas de treinos e boas escolhas alimentares, mas de nada adianta comer direito e se exercitar se você não dormir bem. Sem essa renovação do organismo, todos os esforços empenhados durante o dia não são aproveitados em sua totalidade.


Mudanças em seus padrões de sono acarretam em mudanças hormonais. Dormir menos de 7 horas por dia leva a um aumento do cortisol que, por sua vez, vai fazer você acumular cada vez mais gordura na barriga e ter mais dificuldade para eliminá-la.


Um estudo publicado pela revista Plos One em 2017, concluiu que os participantes que dormiam seis horas por noite tinham uma cintura que era, em média, três centímetros maior do que os que dormiam nove horas.


Outro estudo de 2018, publicado no American Journal of Physiology – descobriu que apenas uma noite de pouco sono pode mexer com o metabolismo do seu corpo. Então, mesmo que você pule uma noite de descanso durante a semana, o fim de semana não vai compensar.


E o quarto passo para diminuir o volume abdominal é ter qualidade de sono.


Voltando ao início deste artigo, na pergunta que não quer calar: “como eu faço pra perder essa barriga?”, restou claro que do mesmo jeito que essa pancinha não apareceu do nada (foi consequência de más escolhas por um período de tempo), ela também não sumirá num passe de mágicas se você tomar água com limão.


Inclusive, aproveitando o ensejo, quero alertar que o chá verde não pode ser consumido por quem tem hipertensão arterial. A água com limão pode causar gastrite e o gel redutor + cinta, só vai machucar e deformar o seu corpo, além de te deixar desconfortável.


Agora você sabe tudo o que precisa saber para ficar com aquela barriga sarada, chapada, trincada que você tanto almejou. Não espere mais nem um minuto e comece já.

113 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
27.JPG

Olá, que bom ver você por aqui!

Esse espaço é para agregar conhecimento e esclarecimento sobre diversos temas.

Acompanhe sempre e pode "mandar a braba" que eu respondo! 

Fique por dentro de todos os posts

Obrigado por assinar!

  • Preto Ícone LinkedIn
  • Instagram