Seu músculo sabe contar?



Texto escrito por Flavia Gonferr, profissional de educação física, sobre a importância da organização do treino para proporcionar as adaptações fisiológicas.


Aí você entra na academia e faz a sua ficha de treinamento. Nela contém um monte de exercícios, os quais você tem que fazer 15, 12, outros 378 vezes. E repetir tudo por 3, 4 ou 59 vezes. E descansar 45 segundos, ou 1 minuto, mas se você está descansando, vem alguém falando que você está fazendo corpo mole.


Nesta hora você pensa: “meu músculo fraga muito mais de matemática do que eu. Porrãaann?! Ele sabe contar, multiplicar, dividir, raiz quadrada, o valor de x…”


Calma… calma… o músculo não sabe contar, mas ele PRECISA CONTAR para gerarmos as ADAPTAÇÕES FISIOLÓGICAS necessárias.


VOU EXPLICAR!!!


Adaptação fisiológica é uma capacidade do nosso corpo que permite a integração entre fatores biológicos e fatores externos, resultando em RESPOSTAS FISIOLÓGICAS previsíveis, conforme o tipo de exercício e a DOSE DE ESFORÇO.

Temos 3 tipos de adaptações fisiológicas:

  • Adaptações agudas: são adaptações objetivas que ocorrem durante a execução do exercício, exemplo: aumento da frequência cardíaca, do déficit calórico, da ventilação pulmonar e da temperatura interna em comparação ao estado de repouso.

  • Adaptações subagudas: são as adaptações que ocorrem logo após o exercício, quando seu corpo está voltando ao estado de repouso, exemplo: Durante a execuç ão do exercício (Adaptação Aguda), há o aumento do calor dentro músculo devido à contração muscular. Ao terminar o exercício, a temperatura interna do músculo não retorna imediatamente para o nível de repouso, ela vai diminuindo gradativamente até encontrar o nível de repouso. Essa variação de temperatura interna entre o término do exercício até alcançar o valor de repouso é um exemplo de adaptação subaguda. Vale lembrar, que as adaptações subagudas podem durar minutos ou horas, ou seja, mesmo após terminar o treino, seu corpo ainda está sob seus efeitos.

  • Adaptações crônicas: são as mudanças morfofuncionais obtidas a longo prazo. Em outras palavras: É A HORA EM QUE OS HUMILHADOS SÃO EXALTADOS!!! É a hora que você olha no espelho e vê que atingiu seu resultado e que todo o  esforço de semanas, meses e anos, valeram a pena!

E é aí que entra a matemática! Para gerarmos essas adaptações é preciso organização e periodização dos treinos.

A contagem das repetições e séries são para organizar os estímulos propostos: esforço, carga, força, mobilidade, amplitude, potência, etc.


Quando contamos as repetições, as séries e estabelecemos um descanso definido, criamos um impacto metabólico organizado e eficiente, que gera respostas agudas, subagudas e crônicas.


A medida que as adaptações vão acontecendo vamos periodizando o treinamento e criando novas adaptações para chegarmos no objetivo principal.


Portanto, termine a sua série de 274 repetições, ainda que seu músculo esteja queimando e tremendo. Cumpra o descanso, mesmo se for só de 30 segundos (a não ser que esteja desmaiado)!


O nosso músculo não sabe contar, mas o nosso sistema é organizado e inteligente!

26 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Texto escrito por Flavia Gonferr, profissional de educação física, sobre a importância da combinação de especialidades para um melhor desempenho. Sim! As pessoas olham para um profissional de educação

27.JPG

Olá, que bom ver você por aqui!

Esse espaço é para agregar conhecimento e esclarecimento sobre diversos temas.

Acompanhe sempre e pode "mandar a braba" que eu respondo! 

Fique por dentro de todos os posts

Obrigado por assinar!

  • Preto Ícone LinkedIn
  • Instagram